sábado, 30 de janeiro de 2016

Primos



Muito tempo que não escrevo aqui, mas hoje me deu vontade de escrever sobre um assunto que sempre roda na minha cabeça.

Eu tenho três primos, na verdade tenho muitos primos mas esses três são mais ou menos da mesma idade que eu, desses três, dois (L e P) são por parte de pai e somos a primeira geração de netos, o outro primo (R) é por parte de mãe.

O L é aquele primo com quem a gente sempre briga, desde pequenos, qualquer foto que você encontrar da gente ele ta fazendo careta pra mim, desde que me lembre a gente sempre discutiu não que eu me importasse, amo ele, ele gostando ou não huahahauah. Sempre me dei melhor com o irmão mais novo dele, foi com esse irmão que assisti HP pela primeira vez no cinema.  Hoje eu sei que a gente nunca se deu muito bem porque somos muito parecidos, sério, somos dois enjoados e em muita coisa pensamos iguais, mas ao contrario do mundo real onde isso faria da gente amigos, somos primos, família, o que já é alguma coisa.

O R é meu primo irmão de sangue de pai e mãe diferente, sempre nos demos bem, não posso dizer que alma gêmea não existe, quando tenho esse cara na minha vida, desde sempre, que me lembre ou não, sempre nos demos bem, somos cúmplices, amigos, irmãos, eu não sou muito de dividir minhas coisas, mas com ele faço questão de dividir, já falei que quando tiver minha casa ele vai ter um quarto pra ele lá, amo de mais esse cara, unica pessoa que pode chegar aqui em casa sem avisar e falar vou dormir ai e eu não mandar se lascar.

E ai tem o P, sabe aquele cara que você quer conhecer, que você quer ser amiga daquela pessoa, mas ele é inalcançável esse é o P, pelo menos era assim que me sentia em relação a ele quando éramos crianças, eu sempre quis ser amiga dele, vivia atrás dele, ele tinha uma prima e vivia sempre com ela, quando era criança eu queria ser aquela prima, sabe aquele desejo que você tem de ser amigo de alguém e a pessoa nem tchum pra você, pois é. Eu ficava muito triste por isso, uma vez ele até me mordeu que machucou feio, foi uma confusão, quando crescemos e o irmão dele nasceu as coisas melhoraram um pouco, passamos a ser primos, mas nunca fomos amigos, isso me ensinou muito sobre relacionamentos, só a alguns anos atrás que eu deixei pra lá, ele não é meu amigo quem perde é ele, somos primos quando a gente se vê ele me abraça da um beijo, não é que seja falso mas é só o que ele faz com toda a família, uma vez a gente se encontrou numa festa kkkkkk aquilo sim foi falso huahauhaahuahua ele me viu e falou E ai o/ e eu falei E ai o/ e cada um foi pro seu lado. Sei lá é uma coisa que nunca vou entender. 

Mas o que aprendi é que você não pode forçar ninguém a ser seu amigo, isso vem de dentro e quando não é sincero da pra perceber. E que amigos dentro da família é muito raro, mas quando existem são muito especiais.

Um comentário:

Fernanda Serafim disse...

Fmília, tbm tenho um primo irmão que virei até madrinha de casamento, não nos desgrudavamos até a adolescência e uma prima irmã da vida adulta, aquela q queria ser amiga, mas nos tormamos. E o primo q não to nem aí hahahahahahahahaha.